História da Empresa

Fundada em 1968 pelo Engenheiro Pedro Barreto, homem visionário e de elevada capacidade técnica, inicia a sua atividade com a construção de um edifício residencial de 11 pisos no centro da cidade de Setúbal.

Em 1970, tirando partido da experiência do seu fundador na área das obras portuárias, inicia a sua atividade no domínio das obras marítimas. Desde então a Etermar participou nas mais exigentes obras marítimas realizadas em Portugal.

Em 1985 é pioneira em Portugal na construção dos primeiros emissários submarinos: Carvoeiro (1989), Baleeira (1989), Sagres (1990), Espinho (1992). Em paralelo executa o projeto e construção dos primeiros Recifes Artificiais em Portugal na Costa Algarvia (1990).

A partir de 1997, executa diversos projetos na área da hidráulica agrícola. Neste sector dos regadios, desenvolve e executa projetos inovadores em Trás-os-Montes e no Alqueva, de onde se destacam as redes de rega, barragens de aterro zonado, os canais trapezoidais e os tuneis hidráulicos.

No final dos anos 90 inicia uma nova atividade na área do transporte por cabo, com a construção dos primeiros teleféricos na Ilha da Madeira: Teleférico da Rocha do Navio (1998) e Teleférico do Funchal (2000).

Em 2006 os ingredientes para a internacionalização da empresa estavam lançados: um modelo de gestão robusto, uma equipa técnica competente e uma frota alargada de equipamentos marítimos próprios.

Em 2006 ganha os seus primeiros concursos internacionais, de onde se destacam os Emissários submarinos de Tanger e Tetouan em Marrocos e a construção do primeiro cais na Guiné Equatorial. Seguiu-se a construção do Porto de Oran e as Tomadas de Água para a dessalinizadora de Fouka na Argélia.

No ano de 2008 a faturação da Etermar no mercado externo já era superior à obtida no mercado português.

Em 2010 a empresa aumenta o seu capital social de 15 para 25 Milhões de Euros, permitindo a melhoria dos seus rácios financeiros e o aumento da sua competitividade no mercado internacional.

O êxito alcançado em projetos realizados em países e culturas tão diferentes como seja o caso da Argélia, Brasil, Cabo Verde, Guiné Equatorial, Malta, Marrocos, Republica Dominicana ou Tunísia, mostram que a aposta feita na formação dos colaboradores, a adaptação da gestão aos requisitos técnicos mais exigentes e o investimento nos melhores equipamento existentes, são sem dúvida os fatores-chave que fazem com que a Etermar seja hoje uma empresa internacionalmente reconhecida pela sua competência.